Saúde Mais – Por um futuro melhor

Nos dias 8 e 9 de Dezembro, de 2012 teve lugar na província de Cabinda (Angola) a realização de uma ação de prevenção em saúde e de assistência médica dirigida a um conjunto de 1300 crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 12 anos de idade.

O lançamento da ação contou com a presença de membros dos Conselhos de Administração da Mota-Engil-Angola e da Fundação e das autoridades provinciais de Cabinda, que se fizeram representar pelo seu Vice-Governador provincial, Secretários da Educação e da Saúde, entre outras individualidades da localidade de Lândana, onde decorreu a ação. Esta localidade reveste-se de particular simbolismo para o Grupo Mota-Engil, pois foi aí que a Mota & Companhia, sob o impulso do Senhor Manuel António da Mota, seu fundador, iniciou a atividade da empresa.

A iniciativa “Saúde Mais – Por um futuro melhor” englobou o rastreio de doenças infetocontagiosas, o encaminhamento dos casos detetados para a unidade hospitalar de referência e a entrega ou administração de medicação de urgência tida como necessária.

Foi ainda realizada uma ação de sensibilização em higiene oral e distribuídos às crianças kits de higiene dentária. A ação insere-se no protocolo celebrado entre a empresa Mota-Engil Angola, a Fundação Manuel António da Mota e a Embaixada da Federação dos Priorados Autónomos da Soberana Ordem de São João de Jerusalém – Cavaleiros de Malta.

O protocolo, financiado pela Mota-Engil Angola e Fundação Manuel António da Mota, visa a assistência médica gratuita às populações mais carenciadas de diversas províncias de Angola, tarefa a cargo da Embaixada da Federação, cujos profissionais de saúde oferecem o seu trabalho voluntário ao desenvolvimento destas ações.

Colaboradores da Mota-Engil Angola participaram também como voluntários na realização da iniciativa, contribuindo com a sua enorme dedicação e esforço para que a mesma tenha redundado num assinalável sucesso.

A Mota-Engil Angola e a Fundação Manuel António da Mota, em colaboração com a Embaixada da Federação, procuram assim, naquela que é a primeira de outras ações, exprimir de forma marcante a sua solidariedade e responsabilidade perante as crianças angolanas, em particular as oriundas dos meios mais desfavorecidos, numa área vital como a prevenção e assistência na saúde.